sexta-feira, 8 de março de 2013

8 de Março - Dia Internacional da Mulher


Mulheres temos muitas coisas para comemorar nas conquistas dos direitos de igualdade. Tirando o apelo comercial, resolvi lembrar um pouco de como chegamos até aqui. E refletir no que falta para chegarmos a plenitude, não esquecendo do bem preciso que recebemos de Deus, a saúde.

História do 8 de março

No Dia 8 de março de 1857, operárias de uma fábrica de tecidos, situada na cidade norte americana de Nova Iorque, fizeram uma grande greve. Ocuparam a fábrica e começaram a reivindicar melhores condições de trabalho, tais como, redução na carga diária de trabalho para dez horas (as fábricas exigiam 16 horas de trabalho diário), equiparação de salários com os homens (as mulheres chegavam a receber até um terço do salário de um homem, para executar o mesmo tipo de trabalho) e tratamento digno dentro do ambiente de trabalho.

A manifestação foi reprimida com total violência. As mulheres foram trancadas dentro da fábrica, que foi incendiada. Aproximadamente 130 tecelãs morreram carbonizadas, num ato totalmente desumano.

Porém, somente no ano de 1910, durante uma conferência na Dinamarca, ficou decidido que o 8 de março passaria a ser o "Dia Internacional da Mulher", em homenagem as mulheres que morreram na fábrica em 1857. Mas somente no ano de 1975, através de um decreto, a data foi oficializada pela ONU (Organização das Nações Unidas).

Objetivo da Data 

Ao ser criada esta data, não se pretendia apenas comemorar. Na maioria dos países, realizam-se conferências, debates e reuniões cujo objetivo é discutir o papel da mulher na sociedade atual. O esforço é para tentar diminuir e, quem sabe um dia terminar, com o preconceito e a desvalorização da mulher. Mesmo com todos os avanços, elas ainda sofrem, em muitos locais, com salários baixos, violência masculina, jornada excessiva de trabalho e desvantagens na carreira profissional. Muito foi conquistado, mas muito ainda há para ser modificado nesta história.


Conquistas das Mulheres Brasileiras

Podemos dizer que o dia 24 de fevereiro de 1932 foi um marco na história da mulher brasileira. Nesta data foi instituído o voto feminino. As mulheres conquistavam, depois de muitos anos de reivindicações e discussões, o direito de votar e serem eleitas para cargos no executivo e legislativo.


Para relaxarmos, vai uma tirinha do meu marido, Alexander Santos, que brinca com a relação homens e mulheres.
Fonte: http://humorpatia.blogspot.com.br


segunda-feira, 4 de março de 2013

Delícia! Pão de Banana da Nilda (Bolo sem leite)


Pessoal, vou passar a receita de um bolo maravilhoso que minha amiga Nilda fez para o Chá de Bebê da Marcela. O legal é que ela não vai leite e o meu Bruno adorou. Apesar da aparência de bolo, o nome da receita é Pão de banana.


Ingredientes:
2 ovos
meia xícara de chá de óleo
1 xícara de chá de açúcar
3 bananas (maduras, bem pintadinhas) nanicas amassadas com o garfo
1 xícara de trigo
meia colher de chá de sal
1 colher de chá de bicarbonato
1 colher de chá de fermento em pó

Preparo:
Passe o trigo pela peneira.
Peneire pela segunda vez, acrescentando o sal, o bicarbonato e o fermento e separe.
Bata os ovos na batedeira, acrescente as bananas, o óleo e o açúcar.
Bata de novo.
Acrescente a mistura de elementos secos e bata de novo.
Leve ao forno pré-aquecido, em forma de bolo inglês ou em forminhas de cupcakes.
A forma deve ser untada e polvilhada com trigo.
O tempo de forno varia, mas eu costumo deixar entre 30 a 45 minutos.

Dicas da Nilda:
1) Você pode colocar um pouco de uva-passa na massa; fica muuuuito bom também.
2) No ano passado, com essa mesma receita, preparei uns cupcakes deliciosos para o aniversário do Gabriel. Recheei uns com doce de leite, outros com ganache de chocolate  e outro com merengue italiano e os cobri com esses mesmos recheios e joguei aqueles confeitos comestíveis. Ficaram todos uma delícia e bem alegres para a festinhas. Esta dica é para quem pode ingerir leite.


Bem, foi ficando por aqui agradecendo a contribuição da Nilda. Até a próxima.